Atitude Logo

Notícias

03
Ago
2016

Apenas ser ciclista não torna ninguém salvador do planeta: é preciso ser ciclista consciente.

Relacionar bicicleta e sustentabilidade é muito fácil. No momento de falar sobre o assunto, não faltam argumentos ecologicamente corretos para defender a magrela. Bicicletas a parte, o maior impacto que o ciclismo pode gerar ao meio ambiente vem do ciclista. Apenas ser ciclista não torna ninguém salvador do planeta: é preciso ser ciclista consciente.
 
Atualmente, há um movimento muito positivo de incentivo ao uso da bike e a causa ganha cada vez mais adeptos. Amadores, profissionais e amantes da bicicleta estão fazendo-se ouvir e propagando os benefícios da prática de pedalar, tanto para a saúde própria como para a saúde de todo o meio ambiente.
 
O vilão desse conto de fadas pode ser a imprudência do ciclista quanto ao lixo produzido durante a pedalada. Inevitavelmente, produz-se lixo; a questão é o que fazer com ele. Garrafas, recipientes de isotônicos, copos descartáveis, tampinhas, lacres, papel, fragmento de peças da bike e vários outros materiais inorgânicos são lançados à natureza. Esse lixo produzido e, de forma desrespeitosa, deixando ao longo das trilhas, provoca poluição de meio ambiente e gera um impacto negativo que pode demorar muito para ser revertido.
 
Temos a falsa impressão de que nosso lixo é pouco para gerar algum impacto na natureza. Mas é exatamente esse pouquinho meu aqui, que junto com o seu pouquinho aí, criam situações de poluição muitas vezes irreversíveis, como o comprometimento de ecossistemas e a contaminação das águas.
 
Outra falsa impressão com relação ao lixo é que depois que nos livramos dele, ele não é mais problema nosso. É o mesmo que afirmar que não nos preocupamos com nossos filhos ou netos! Fala-se tanto em sustentabilidade justamente por isso: o planeta – e todos os seus recursos – tem que ficar aí, para as próximas gerações.
 
Recolher o lixo na trilha é um primeiro passo. Depois disso, a preocupação com o lixo não deve se limitar à passagem, ou não, do caminhão que o recolhe em frente a nossa casa. Quando o lixo é recolhido, ele ainda existe em outro lugar. O recomendável, então, é ter bom senso e não consumir mais do que o necessário. O lixo produzido durante um passeio ou uma competição não fica na frente da nossa casa e, por isso, parece não incomodar. Mas tenha em mente que a limpeza das trilhas pode ser muito difícil, por se tratar de áreas onde a natureza predomina e muitas vezes, onde apenas bicicletas têm acesso.
 
Quem escolhe a bicicleta já ganha pontos importantes no quesito sustentabilidade; mas isso só não basta. As práticas em prol do meio ambiente vão além de trocar o carro pela bicicleta. Respeitar nosso lar – o planeta – envolve ações simples, pequenas e corriqueiras, como ser responsável pelo lixo que produzimos em qualquer situação, inclusive andando de bicicleta.
 
Adote uma postura ecologicamente saudável e consciente. Seja responsável pelo lixo que você produz em suas pedaladas.
 
Quando estiver pedalando em um lugar repleto de belezas naturais, lembre-se de que você deve devolver este lugar da mesma forma que o encontrou. Se cada um fizer a sua parte, todos ganham.
 
 
 
Fonte: Revista Bicicleta, edição 08/01
 

Compartilhe:

0